Novos Projetos Profissionais e a Copa do Mundo (2)


Nos demos mal!
 
Acreditamos de mais na “Pirâmide das Copas” (leia Novos Projetos Profissionais e a Copa do Mundo de 17/06/06. Escrevi brincando para mostrar como o povo se acomoda quando o clima é de “já ganhou”. Preferimos acreditar no cabalismo, nas previsões dos especialistas e apostadores que diziam que o Brasil seria campeão. Acontece que não basta ser favorito, tem que jogar com peito, com raça, com a alma e não foi isso que fizemos. Nos acomodamos ao enfrentar adversários mais fracos e nos enchemos de certezas de que sairíamos da Alemanha com mais uma estrela.
 
De certa forma, até prefiro que a gente perca agora do que em 2010. Como a Argentina também foi desclassificada na mesma rodada, dos males este foi o menor — ou no mínimo, menos feio! Teremos agora 4 anos para deglutir e procurarmos achar saídas para esta crise, muito mais do que simplesmente tentar entender o que aconteceu. Depois da derrota de 1998 o brasileiro cobrou e a CBF teve que melhorar o futebol brasileiro. Não adianta meter o pau no Parreira, mas na estratégia da CBF. Como resultado, fomos campeões em 2002, pois não éramos os favoritos, nem nós acreditávamos que conseguiríamos e o Felipão mostrou que o importante não era mostrar que tudo estava bem, mas acreditar em nós mesmos.
 
A minha vida também está em ritmo de Copa do Mundo. Penso que em 1998 entrei em campo achando que seria o campeão e perdi até as chuteiras em 2001. Agora, 5 anos depois, entre em campo sem salto-alto, mas sabendo que o mais importante é a humildade de saber que precisamos vencer a batalha de cada minuto de cada hora de cada partida e não somente todo o campeonato. Aprendi que o mais importante é buscar primeiro o Reino de Deus e todas as outras coisas me serão dadas por acréscimo. Isso é, eu preciso buscar a dependência total de Deus, saber que sem Ele eu não seria ninguém e nem conseguiria nada; saber que nada vale o meu esforço sem a benção dEle. Após este reconhecimento, Ele começa a metanóia e começa a usar o nosso melhor e começa mostrar as vitórias, mesmo quando aos nosso olhos só há derrota.
 
Voltando a falar de futebol, com certeza, para 2010 a CBF colocará o Felipão. Veja o que ele consegue fazer com uma seleção sem a tradição futebolística como a de Portugal. Isso foi possível graças a crença de que é mais importante acreditar no “um por todos e todos por um” do que no “nós vamos vencer porque somos os melhores”. É mais importante o pensamento coletivo com um objetivo coletivo, do que administrar conflitos individuais e egoístas de 22 jogadores disputando internamente. A escola do Felipão é tão velha, mas infelizmente não foi valorizada. Com certeza, agora a CBF vai pedir de joelhos que ele volte de nossa antiga metrópole, mas agora estaremos disputando sua preferência vários outros países que também querem o mesmo mestre.
 
Porfírio
Wesley’s Space Blog
http://spaces.msn.com/wporfirio
“adwp06”
Anúncios

Comenta aê!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s