Novo hoax da “Convenção Berner e Estatuto de Roma” no Facebook mostra o quanto há “inocentes úteis” em todo o mundo


Sobre a credulidade das pessoas que compartilham na Internet informações sem conferir sua veracidade.

Comunidade em castelhano (ou espanhol) que brinca com o uso do termo  "Convenzione Berner" usado em hoax.

Comunidade em castelhano (ou espanhol) que brinca com o uso do termo “Convenzione Berner” usado em hoax.

Ontem a noite uma amiga me procura pelo Facebook para me perguntar se eu sabia alguma coisa sobre um texto sobre privacidade e que tem que ser compartilhado no mural de recados. Imaginei se tratar de mais uma hoax (boato/fraude). Para ter certeza, pedi que me mandasse o texto. É uma verdadeira pérola hoaxer (rs…).

Confira:

No dia 05 de fevereiro do ano de dois mil e treze, encontrando-me no pleno gozo das minhas faculdades mentais, eu, titular desta conta no Facebook, declaro, para quem interessar e em especial para a empresa administradora do Facebook, que os meus direitos autorais estão ligados a todos os meus dados pessoais, comentários, textos, artigos, ilustrações, quadrinhos, pinturas, fotos e vídeos pessoais e profissionais, etc. (como resultado da Convenção Berner). Para uso comercial dos itens mencionados acima, o meu consentimento por escrito será sempre necessário. Pelo presente comunicado, venho notificar o Facebook que fica estritamente proibido revelar, copiar, distribuir, divulgar ou tomar qualquer outra ação contra mim com base neste perfil ou no seu conteúdo. As referidas ações proibidas também se aplicam aos funcionários, estudantes, agentes ou membros de qualquer equipe, sob a direção ou controle do Facebook. O conteúdo deste perfil é privado e suas informações confidenciais. A violação da minha privacidade será punida por lei (UCC 1 1-308-308 1-103 e Estatuto de Roma) e no Brasil pelo Código de Proteção e Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90).
OBS: O Facebook é agora uma entidade de capital aberto. Todos os membros são aconselhados a publicar uma nota como esta. Se não publicar uma declaração pelo menos uma vez, estará permitindo o uso de informações ou fotos, bem como as informações contidas na sua atualização de status do perfil. Pode copiar e colar este texto.

Não sei se todos compartilham do mesmo senso de humor, mas enquanto eu li o texto ri de gargalhar! Principalmente quando o autor usa o termo normalmente usado em testamentos: “eu, encontrado-me em pleno gozo de minhas faculdades mentais“. Será que os que acreditarem neste texto estavam realmente lúcidos?

Bom, mas voltemos ao fato e depois comentarei o que realmente eu quero tratar. Leia em EBC | Tecnologia | Boato: hoax da “Convenção Berner e Estatuto de Roma” volta a atacar no Facebook, que a tal Convenção Berner só passou a existir depois que um grupo de espanhóis criaram fan page no Facebook para ironizar o hoax.

Certamente quem escreveu o texto inicial foi algum advogado paranóico depois de ler sobre as quebras de direitos autorias do Instagram e que logo em seguida já fez associação com o medo de acontecer o mesmo com as novas políticas de privacidade do Facebook. Não há como saber como um hoax se inicia, mas há como imaginarmos que deve ter sido alguém que se acha que o seu direito está acima do contrato eletrônico que todo usuário do Facebook (em tese) de ter lido antes de aceitar utilizar o serviço. Aproveite e leia a Política de Uso dos Dados do Facebook.

Continuando ainda na hipótese de nosso autor ser um advogado (ou juiz federal cheio de juizite rs…) que postou a primeira parte do texto em seu mural ou em seu perfil, certamente seus amigos acharam aquilo muito estranho, engraçado ou sério e já saíram compartilhando. Ai, certamente, caiu nas mãos de algum hoaxer engraçadinho que viu a possibilidade de acrescer o a cereja do bolo do “hoax”: a ameaça de que alguma coisa ruim vai acontecer.

Conclusão: Não seja crédulo em tudo que você lê na Internet. Não haja na emoção. Faça como minha sábia amiga que recebeu o hoax: Mantenha a calma, analise o texto, cheque a veracidade e se ainda tiver dúvidas pergunte aquele amigo que tem um pouco mais de experiência em Internet. Por fim, pergunte a si mesmo se realmente vale a pena enviar a informação. Afinal, sempre vai existir psicopatas que vão amar verem seus hoax se proliferando pelos murais de inocentes úteis.

Comenta aê!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s