Diário de Protesto de um Protestante


“Vem pra rua!! Vem pra rua!! Vem pra rua!!” 📢 Gritava a multidão eufórica quando via as pessoas paradas olhando pelas janelas dos prédios.

O povo que passava de carro apoiava morrendo de inveja de não tá lá com a gente. Tranqüilizei uma motorista: “Não se preocupe, a gente tá aqui representando vc tb. Vai na Paz.” A moça encheu os olhos de lágrimas e se foi.

Não vimos nada de grave. Houve um início de tumulto na Tocantins depois da 3 e o povo saiu correndo. Coisa de 5 segundos, só. Disseram que era briga de torcida organizada. Ai a galera combinou. “Se rolar tumulto, todo mundo senta, ninguém corre! Passe pra frente.” Isso partiu da gente e tranqüilizou a todos ao redor.

Aqui em Goiânia, parece q não houve incidentes graves e ninguém foi preso. Ao chegarmos na Pç. Cívica a PM estava distribuindo rosas para os manifestantes. Que preparo!

Ao chegar em casa, assisti aos noticiários locais e só fiquei sabendo de um incidente rápido na Pr. do Ratinho. Foi algo tão pequeno q quando eu passei por lá voltando, já tinha acabado. Me avisaram por SMS que batedores de carteira estavam usando máscaras e aproveitando a situação. Saímos avisando a todos. “Passem pra frente!”

Também tinha muita gente bêbada e drogada. Retrato de uma nação q sofre.

A tática da segurança pra andar na multidão era sempre juntos com um líder na frente, as mulheres no meio e os homens atrás. No q podíamos, ajudamos, sinalizávamos para onde a galera tinha que ir. Dava pra ver nitidamente que as pessoas não estavam ali sozinhas, sem pelo menos um pequeno grupo de amigos.

O povo goiano deu um exemplo de civismo e pacifismo, para todo o resto do país.

50% dos protestos e palavras de ordem era contra Marconi: “Marconi, bicheiro, devolve meu dinheiro!” Um recado claro da insatisfação pela vergonha nacional que o governador está fazendo o povo goiano passar.

“Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas.” (1Ti.6:12)

O pessoal das igrejas Presbiteriana Maranatha, Sal da Terra, vários batistas e até uma galera da MPC, se encontraram na porta da loja Harmonia Musical, na Rua 4, Centro.

Eu queria que fosse na porta na Livraria Páginas Antigas, para ser simbólico estarmos virando uma página antiga e escrevendo uma nova página da nossa história, mas tudo bem.

Não somos melhores do que ninguém por sermos protestantes. E estávamos lá a serviço do Reino de Deus para ajudar e dar bom testemunho. Outros amigos católicos e espíritas foram conosco.

A idéia era falar pelas ações. Mostrar a diferença no comportamento. Nas palavras de ordem com xingamentos, não participávamos. Éramos como se estivéssemos numa arquibancada de um Estádio reclamando da arbitragem, mas não xingando o juiz. =)

O texto que tocou fundo no coração de alguns os protestantes de Goiania, durante essa semana, pelas Redes Sociais, veio de uma arte feita pelo grupo de dança Kumbaia. Leia:

“Aprendam a fazer o que é bom. Tratem os outros com justiça; socorram os que são explorados, defendam os direitos dos órfãos e protejam as viúvas.” (Isaías 1:17)

Aprendemos que só podemos nos considerar protestantes se protestarmos contra o pecado, a corrupção, a degradação humana, a corrupção e as injustiças sociais.

A lição que eu deixo para as minhas filhas é que devemos amar a Deus acima de todas as coisas, mas que isso está condicionado ao amar ao próximo como a mim mesmo, que tá condicionado ao respeito as pessoas, as autoridades, ao dever cívico.

E dentro do dever cívico e de servo de Cristo, está uma infinidade de coisas que devemos fazer, entre elas ajudar o povo a protestar na Paz de Jesus e sem violência.

Então, no final, da nossa caminhada, encontramos uma moça chamada Patrícia, ela seguia em direção a Pç. do Ratinho com seus filhos de 4 e 6 anos (creio eu). Eu e meu amigo Thiago Ambrósio, que é católico, demos meia volta e fomos acompanhar ela com as crianças até a praça, pois achamos que era muito perigoso para ela.

Na minha cabeça só dava o texto de Isaías 1:17. Ao conseguir ver
De perto o protesto, Patricia se emocionou e depois levamos ela de volta até a porta da Maranatha. Ufa, fiquei feliz de ter protegido ela e aquelas crianças!

E assim acabou esse primeiro protesto de um protestante. Espero que venham mais.

No mais, fiz alguns clips rápidos de como foram os protestos em Goiânia e q estão em www.youtube.com/wporfirio.

Comenta aê!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s