A História Política Brasileira – de 1985 à 2020


A História da Guerra da Classe Média pela Construção da Nova Democracia Brasileira

Todo país onde há classe média forte e aguerrida, há democracia forte e menos corrupção no Estado.

Todo país onde a classe média é pequena e fraca ou ela fica escrava do Establishment ou fica escrava de algum psicopata tirano.

Mas qual o papel da classe média na história da nova democracia brasileira? Por que não nenhum cientista político atual dá o protagonismo da guerra política à classe média brasileira?

No Brasil, desde 1985, a classe média ainda dormia alienada politicamente e deixou o Establishment voltar ao poder federal, através de poderes oligárquicos do nordeste nos escravizar. Primeiro, o coroné Sarney (1995), depois o coroné Collor (1990).

Em 1989, com a queda do Muro de Berlim e, com a economia nacional em frangalhos, o Brasil não tem o que comemorar quanto ao fim do Regime Militar. Que democracia era aquela onde o povo continuava escravo dos realmente ricos poderosos?

Em 1990, o Foro de São Paulo foi criado e, com o avanço da hegemonia cultural gramsciana, a Esquerda chegou ao poder federal em 1995 com FHC. Era o início do projeto dos psicopatas para o financiamento do projeto de dominação socialista na América Latina.

Em 2003, as coisas pioraram quando houve a união do Establishment e os psicopatas. “Ladrões de sindicato, transformaram o país em um sindicato de ladrões.”, disse o ministro do STF Gilmar Mendes, no julgamento do Mensalão.

Com o Escândalo do Mensalão e a máscara de ética e honestidade do lulopetismo caiu e a esquerda criou o Psol para continuar posando de honesta e para continuar avançando a agenda Revolução Cultural. Ao poucos o país foi alcançando os piores resultados na educação com a doutrinação e com o método de idiotização sócio-construtivista de Paulo Freire.

O plano do Foro de São Paulo era usar o dinheiro do capitalismo brasileiro através dos impostos e do desvio de fundos de pensão, da Petrobrás e do BNDES, para o Brasil para financiar as ditaduras socialistas mundo a fora.

Paralelo a isso, a Esquerda ia enriquecendo. Os filhos de Lula enriqueciam e os empreiteiros junto com doleiros organizavam todos os esquemas criminosos para roubar todos os brasileiros.

Enquanto isso, o povão ia sendo iludido e se endividando, enquanto a classe média ia empobrecendo cada vez mais para levar nas costas o pesado mamute do Estado brasileiro. Além disso, o poder da criminalidade aumentava e a violência chegou a vitimar até 65 mil brasileiros por ano.

O plano do Foro de São Paulo só não deu certo, porque o povo cristão brasileiro, a partir de 2003 começou a orar sistematicamente pelo Brasil. Deus ouviu o clamor de seus filhos e começou a nos dar forças para lutarmos pela liberdade.

Tudo culminou nas manifestações de 2013 com a Esquerda perdendo o poder dos meios de ação das ruas e a Classe Média, ainda difusa e sem saber o que estava acontecendo, assumindo o poder.

Sem sabermos, este era o fim da Velha República dominada pelo Establishment e assaltada pelos psicopatas lulopetistas.

Pro desespero dos agentes culturais, classe média assumiu o protagonismo nas redes sociais. Ela era xingada e não tinha a visão clara e nem as armas culturais para se defender dos ataques esquerdopatas.

Até que em 2013, Felipe Moura Brasil lança no mercado editorial brasileiro um livro que cairia como uma bomba 💣 nas mãos do projeto criminoso de poder dos psicopatas lulopetistas: O Mínimo que você precisa saber para não ser um idiota, do filósofo Olavo de Carvalho.

Este foi o início do…

O MITO FUNDADOR DA NOVA DEMOCRACIA BRASILEIRA

A partir de 2014, explodiu a ogiva nuclear da Operação Lava Jato. Com ela, o “inverno nuclear” da velha política

Agora a classe média começou a ter as armas da informação correta do que estava acontecendo. As correntes e cadeias que a prendia a classe média e o povão, antes invisíveis na “ditadura perfeita” à la Aldous Huxley agora ficaram claras e insuportáveis.

Em 2014, mais outro golpe em conluio do Establisment e os psicopatas. Dilma descumpre todas a lei e comete as pedaladas fiscais, ganha a reeleição, mas perde o apoio popular.

A partir de 2015, os movimentos de rua começam a levar milhões de pessoas para as ruas. Era a classe média se organizando em desobediência civil pacífica. Os caminhoneiros ameaçavam parar o Brasil e a classe média começa a afundar na recessão econômica e o povão já desempregado e desesperado saia as ruas exigindo que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, apresentasse para votação o impeachment.

A Esquerda da sua última carta por um golpe parlamentar para manter a moribunda Dilma no poder e ameaça Eduardo Cunha, que, para se defender, pensa “Posso ir pra cadeia, mas antes de ser cassado, coloco o impeachment para ser votado.”

Encurralada no Planalto com o povo nas ruas, sem apoio parlamentar, Dilma consulta as FFAA para saber se eles apoiariam o acionamento a Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170), mas os militares se mantiveram ao lado do povo e da Constituição. Nunca apoiariam um poste da ORCRIM que saqueou o país.

Em 2016, Dilma cai, entra seu vice e a classe média se acalma. A SELIC chega a 14,25%, o maior juros da história. O Brasil usava 52% de toda a sua arrecadação de impostos só para pagar juros e amortizar a sua dívida interna trilionária com os bancos nacionais.

Desde 2013, a classe média e o povão procuravam por um representante legítimo que a representasse e que fosse colocado no poder federal. O deputado do “baixo-clero”, Jair Bolsonaro, começou a se destacar nas redes sociais.

Em 2018, Bolsonaro começou a ser chamado de “Mito” a classe média e o povão cristão e conservador entenderam que ele no poder federal significaria “o povão e a classe média no poder”. Finalmente o chefe da ORCRIM petista foi preso para o desespero dos psicopatas.

Agora que estava enjaulado, Lula tenta colocar seu poste Andrade na presidência. Era o único plano da Esquerda delirante já sem apoio nacional, mas graças a máquina da propaganda da extrema-mídia ou graças as urnas eletrônicas, ainda conseguiram perder com uma diferença pequena.

Faltando um mês para o fim das eleições de 2018, os psicopatas da Esquerda mostraram o que são realmente capazes de fazer todas as obras do Inferno: roubar, destruir e até matar para voltarem ao poder. A Esquerda promoveu um atentado terrorista que quase matou o futuro presidente.

A classe média se une com o povão. Todos agora estavam convictos de que a luta era pela “independência ou morte” do Brasil. O atentado terrorista foi atenuado pela extrema-mídia, mas agora os brasileiros estavam lutando juntos para exigir a vitória da vontade da maioria nas urnas.

Em 2019, o governo Bolsonaro joga a pá de cal nos projetos criminosos da Esquerda de voltar ao poder. A Classe Média, junto com o povão e, agora com um crescente apoio do povo nordestino, a nova democracia brasileira saiu do rumo do abismo socialista e caminha para junto das grandes potências econômicas mundiais.

A lição que fica é que o poder só está nas mãos da maioria quando esta luta por ele. O poder agora está nas mãos do povão trabalhador que quer virar classe média e sair da pobreza com trabalho e dignidade.

Com o acesso a informação através da Internet e aos novos formadores de opinião da classe média, aos poucos a extrema-imprensa vai sendo substituída pela mídia independente. O povão pelo WhatsApp e redes sociais tomou a “red pill” e que a única coisa que a “Matrix” do populismo e o socialismo trouxeram para ela foi a escravidão.

CONSTRUINDO A HISTÓRIA POLÍTICA BRASILEIRA A PARTIR DE 2020

Em 2020, iniciasse um novo capítulo na história da nossa democracia brasileira. A maioria do povão e da classe média continuará lutando para manutenção da sua liberdade.

Em 2020 virá as eleições municipais e a classe média agora tem em suas mãos a missão de educar politicamente a população para lutar pela manutenção do seu poder democrático nos meios de ação das ruas (manifestações), meio de ação da comunicação (Internet livre) e dos meios de ação política federal. (através da presidencia e sua equipe ministerial).

Em 2020, também caberá à classe média organizar a população para a tomada do poder político (prefeituras e câmaras municipais). Ainda há muitos políticos representantes do Establisment, da ORCRIM esquerdista.

Em 2020, talvez o pior inimigo ainda está bem camuflado e é preciso expô-lo: trata-se da “new left” (a Nova Esquerda) disfarçada em pele de direita, mas que na verdade só querem usar o povão e a classe média para chegarem ao poder.

Figuras oportunistas como Joice Hasselmann, Amoedo, Dória, Kim Kataguiri, Arthur Duval, Luciano Huck, se colocam como de direita, mas estão lutando pela queda do poder democrático da classe média no poder federal, representado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Certamente esses lobos em pele de ovelha tentarão galgar mais um degrau no poder, chegando ao poder executivo das prefeituras. Cabe a classe média formadora de opinião lutar para desmascarar e a alertar os incautos .

REFERENCIAIS E INDICAÇÕES DE LEITURAS E VÍDEOS:

  1. DE CARVALHO, Olavo O Imbecil Coletivo
  2. DE CARVALHO, Olavo O Mínimo que você precisa saber para não ser um idiota
  3. GARSCHAGENG, Bruno Pare De Acreditar No Governo – Por Que Os Brasileiros Não Confiam Nos Políticos E Amam O Estado
  4. RODRIGUES, Ricardo Vélez A Grande Mentira: Lula e o Patrimonialismo Petista
  5. MAGNOLI, Demétrio O Mundo em Desordem Vol. 1: Liberdade Versus Igualdade
  6. BERNARDIN, Pascal / RIBEIRO, Alexandre Muller: Maquiavel Pedagogo
  7. BRASIL PARALELO: O Teatro das Tesouras
  8. SENSO INCOMUM: A Direita em 2020
  9. NASSER, José Monir A Diferença entre Liberalismo e Neo-Liberalismo
  10. MÍDIA SEM MÁSCARA: True Outspeak
  11. NOBRE, Wesley Porfírio É Urgente Montar uma Militância Pro-Governo

* Wesley Porfírio, é administrador de empresas, empreendedor digital, teologando reformado, coordenador de comunicação do movimento Vem Pra Rua Goiás e fundador do grupo #CristãosQueProtestam.

Comenta aê!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.