Muito além da Dislexia: Qual a mensagem principal do filme “Como Estrelas na Terra”


Somente a arte tem o poder de nos leva a abstrair da realidade para evoluirmos a humanidade.

Atenção! Este artigo contém spoiler do filme “Como Estrelas na Terra – Toda Criança é Especial”

Este filme indiano é muito comemorado pelos pedagogos e educadores, pois tratou e retratou um problema muito grave que é o preconceito e a falta de tratamento adequado para crianças com dislexia.

INTRODUÇÃO:

Nesta resenha crítica, quero mostrar que através do estudo das artes é possível levar as crianças a aprenderem abstrair da realidade e com isso ensiná-las a serem criativas. Não são apenas crianças disléxas que podem aprender muito com as arte, mas qualquer pessoa que queira ser criativa. Contudo, há um perigo muito grande no uso das artes nos dias de hoje. Para entender, é necessário ler toda a resenha, analisar o questionário de educação para finalmente entender todo a crítica ao filme e ao que muitas escolas estão fazendo:

RESENHA CRÍTICA:

O personagem do filme um menino indiano chamado Ishaan Awasthi. Ishaan é uma criança pertencente a classe média alta da Índia. A Índia é uma sociedade muito estratificada e as classes mais altas receberam a influência muito grande da sua antiga colonizadora: a Inglaterra. Portanto, o filme é todo em hindi, mas com um uso muito grande do inglês. Outros traços da culturais ocidentais se misturam com a cultura oriental de influência hinduísta.

É neste contexto cultural que Ishaan vive. Um verdadeiro caldeirão de informações em que vai criar um contexto social bastante opressivo para uma criança de 9 anos que quer descobrir o mundo, mas que é incompreendida em suas limitações cognitivas pelo mundo dos adultos. Sim, o filme não deixa de ser uma crítica social pesada a educação escolar como uma fábrica de campeões e de pessoas extremamente competitivas que tem como o único objetivo a vitória e o sucesso, mas que se esquecem do básico: o amor familiar e a criação de filhos com inteligência emocial e que busquem desenvolver seus próprios talentos.

Como os pais de Ishaan não sabiam o que era a dislexia, achavam que ele era uma criança indisciplinada e o tiraram da sua escola e a levaram para um internato onde a coisa só piorou. Ishaan ficou depressivo e o filme dá a entender que ele procurava (inclusive) a morte. Felizmente, aparece na vida do garoto um professor interessado pelo seu caso. Era um professor de arte que se identificou com Ishaan, pois foi uma criança disléxa. Com isso, o professor mostrou que grandes personagens e gênios da história foram disléxos e obtiveram sucesso. Na história de Ishaan, o professor provou que ele também era um artista precoce e que ele poderia vencer os desafios da dislexia.

QUESTÕES SOBRE EDUCAÇÃO TRATADAS NO FILME:

• 1) Qual a motivação do professor para assumir e continuar no magistério?

O professor também foi uma criança que sofreu preconceito por causa da dislexia.

• 2) Quais os principais problemas enfrentados pelo professor no dia-a-dia do processo ensino-aprendizagem?

Os três principais problemas enfrentados pelo professor foram:

a) Ishaan já estava bastante deprimido e sem autoconfiança, então ele teve que trabalhar isso, para que Ishaan voltasse a acreditar em si mesmo.

b) O professor teve que convencer o diretor do colégio interno que Ishaan precisava de um tratamento diferenciado e precisava que ele o autorizasse a reeducar o aluno.

• 3) Qual a visão do professor sobre o aluno?

O professor viu os desenhos de Ishaan e viu o quanto ele era talentoso justamente, porque este problema da dislexia o fazia pensar fora do padrão das pessoas ditas normais. Contudo, ele sabia que se algo não fosse feito rapidamente, Ishaan se perderia por completo.

• 4) Que relação houve entre a metodologia de ensino e os resultados obtidos na aprendizagem?

O filme mostra um pouco como é o problema, mas não deixa claro os métodos pedagógicos utilizados para tratar crianças disléxas. Contudo, o principal objetivo foi cumprindo: Ishaan aprendeu a ler, a escrever e a calcular com o método usado pelo professor. O que ficou claro é que é preciso muita dedicação e coragem dos professores para que os resultados ocorram.

• 5) Como era a relação do professor com o conteúdo que ensinava?

Ele era um professor de artes. O filme mostra que o professor era um verdadeiro artista e que vivia intensamente a arte como forma de educação lúdica para abrir as janelas do mundo para as crianças.

• 6) Como a filosofia de educação do professor se expressava na prática de sala de aula?

A filosofia do professor era que as crianças deveriam primeiro desenvolver a abstração, para depois aprender as técnicas. Para isso, ele usava processos lúdicos como músicas, danças, brincadeiras, dando para as crianças papel, tinta, lápis e muita liberdade de tempo para imaginarem o mundo e a descreverem por meio dos desenhos.

• 7) Qual a principal mensagem do filme para um educador?

A principal mensagem do filme não foi explicitadas, mas ficou implícita nas últimas cenas com o ângulo aberto da câmera no pátio da escola, pegando ao fundo a fachada com o nome da instituição: New Age School (Escola Nova Era). Sabemos que nada é por acaso. Há uma mensagem direta de que a educação precisa ser mais humanizada e que todas as crianças são “estrelas nas terra” e que os professores precisam descobrir os seus talentos. Contudo, há também uma intensão subliminar de que a educação precisa ser um processo revolucionário para a construção do Novo Homem da Nova Era humanística.

QUAL O PAPEL DAS ARTES

Somente as artes tem o poder de levar o homem a abstrair da realidade para faze-lo criar o novo e assim fazer com que a humanidade evolua tecnicamente.

As artes tem esse poder de fazer com que a criança se abstraia e coloque a sua imaginação para funcionar. Somente através das artes, num processo de aprendizagem é possível ensinar uma criança a ser realmente criativa. E criatividade é criar coisas novas. Algo importantíssimo para no processo de inovação e evolução tecnológica no mundo.

Siga: http://www.twitter.com/wporfirio

O teólogo reformado João Calvino disse que o coração do homem é uma fábrica de ídolos:

Ora, que os ídolos já estivessem em uso antes que viesse a prevalecer este desmedido anseio em consagrar imagens dos mortos, de que se faz freqüente menção nos escritores profanos, evidencia-se de Moisés. Quando narra que Raquel furtara os ídolos do pai [Gn 31.19], não fala de outra forma senão de um vício generalizado. Do quê é lícito concluir que a imaginação do homem é, por assim dizer, uma perpétua fábrica de ídolos.

João Calvino (Institutas da Fé Cristã, Livro 1, Cap. XI, pag. 113)

E o que tem a ver a arte com a idolatria do coração do homem? É que o poder da arte sempre foi associado a criação de coisas divinas como ídolos físicos, feitos por artistas, na semelhança de coisas criadas por Deus A arte, portanto pode se tornar um instrumento de criação de ídolos e isso é condenado por Deus.

O perfil do Tumbrl Lendo as Escrituras, explica que, para Calvino, “A origem da idolatria está na idéia que os homens têm que Deus não está presente sem que seja exibido fisicamente.” mas percebemos que a própria arte pode se tornar um ídolo no coração das pessoas.

Quando este poder é deificado ou seja quando a arte se transforma não numa dádiva do Deus Poderoso, Criador dos Céus e da Terra, ao homens, mas um ídolo em seu coração, se torna um pecado que precisa ser confessado.

O verdadeiro cristão é aquele que sabe analisar todas as coisas e sabe reter o que é bom e descartar o que é ruim.

O verdadeiro cristão sabe que, se ele foi feito a imagem e semelhança de Deus, ele possui a centelha santa da criatividade do Criador.

O verdadeiro cristão sabe que arte é um dom (um presente) dado por Deus como Graça Comum, para que a humanidade venha a se desenvolver com beleza e inteligência.

Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.

Tiago 1:17

O verdadeiro cristão sabe que, nos Mandatos Criacionais, há o Mandato Cultural e que ele foi colocado na terra para ser criativo e criar culturas, lavrar a terra, construir civilizações, desenvolver a tecnologia, instrumentos musicais e as artes.

Segundo o teólogo e escritor João Ricardo de França, “Deus nos criou para que tivéssemos o domínio sobre este mundo como vice-regentes, reconhecendo que cada espaço na criação é reclamado por Cristo como sendo de sua exclusiva propriedade.

Para não cairmos no pecado da idolatria, o verdadeiro cristão deve ensinar e aprender as artes no mundo tendo na mente e no seu coração que tudo ds

CONCLUSÃO:

A Arte parte do poder criativo de Deus e todo o poder é de Deus, portanto use-a para criar, desenvolver a humanidade.

O cristão não tem que fazer somente a arte sacra para Deus. Isso seria dicotomizar a arte da fé. Não! Faça tudo para a glória de Deus! Toda arte seja feita “Soli Deo Gloria”, ou seja, que tudo seja feito dando somente a Deus toda a glória, como Paulo ensinou:

Quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.

1 Coríntios 10.31

Deus não divide sua glória com ninguém. Tudo é dele!

Teu, Senhor, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu, Senhor, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força.

1 Crônicas 29.11-12

Ensine arte para seus alunos! Faça arte! Faça tudo para a Glória de Deus!

Comenta aê!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.