Por que Goiânia é a cidade mais desigual do Brasil?


Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

  1. Somente o mercado poder dar emprego. O estado não (a não ser que seja por meio de concurso público, candidatura política ou um carginho dado por algum político).
  2. Somente o mercado pode remunerar o trabalhador pelo seu trabalho para ele deixar de ser pobre. O estado rouba o trabalhador através dos impostos e oferece em troca um serviço público de merda.
  3. Somente num mercado livre, o pobre pode empreender e sair da pobreza. O estado pelo contrário manda o rappa para roubar os ambulantes e camelôs e tratam os empresários como se fossem bandidos e exploradores e atrapalhando suas empresas de crescerem e contratarem mais empregados.
  4. O patrão e o empregado precisam um do outro para que suas empresas continuem abertas gerando riquezas e mantendo os empregos. O estado não está nem aí para as empresas, desde que ela continuam pagando impostos.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

  1. O miserável ter emprego e deixar de ser miserável;
  2. O pobre ter um emprego melhor ou ter aumento de salário, ajudar as empresas a gerarem riquezas e virar classe-média;
  3. O classe-média assumir o risco de empreender, deixar de ser empregado, virar patrão, gerar empregos, gerar riquezas e ficar rico;
  4. O rico investir no capital produtivo, gerar mais empregos, gerar mais riquezas e ficar milionário;
  5. O milionário investir cada vez mais, aumentar os salários para os melhores empregados, gerar mais riquezas para o Brasil e tirá-lo da condição de país pobre para país rico e, ficar cada vez mais milionário e gastando cada vez mais dinheiro no próprio mercado!

Segundo a ONU, GOIÂNIA É A CIDADE MAIS DESIGUAL DO BRASIL. Devo me preocupar com isso?

Em 2011 vi esta notícia e fiquei perplexo, mas na época eu pensava como um socialista. Felizmente, hoje eu consigo entender a raiz do problema e como solucioná-lo.

Será que o que precisamos é de uma política social que promova pela distribuição de renda, para que o país continue a se desenvolver economicamente e socialmente?

O governo lulista dizia que “um país rico é país sem pobreza”, mas a solução para isso foi implantar políticas socialistas onde o Estado tirava de quem produzia riquezas no mercado de trabalho, ficava com a maior parte para os membros da quadrilha petista e seus asseclas e a um parte ia para programas populistas como o Bolsa Família, para eles continuarem explorando os pobres e deixando eles reféns da quadrilha numa relação clientelista.

Contudo, para acabar com a pobreza e gerar riquezas é através de um sistema econômico antagônico ao modelo socialista: é através do próprio capitalismo.

Somente através do livre mercado com um estado cada vez menor e menos interventor é possível as empresas crescerem, empregarem, gerarem renda, para a população poder consumir e enriquecer, fazendo as empresas crescerem, produzirem mais, gerarem mais empregos e gerar cada vez mais riquezas.

2 comentários sobre “Por que Goiânia é a cidade mais desigual do Brasil?

  1. A desigualdade é exemplificada em dois bons fatos: a capital com o maior número de condomínios fechados e cuja política habitacional escondeu as “favelas” das estatísticas e os miseráveis hoje tem receberam casa do governo, mas ainda não tem o que o comer (moro em Goiânia). Sem falar na desigualdade a acesso à cultura e lazer (a tão famosa arborização de Goiânia é dominante nas regiões nobres, para os pobres, asfalto!).

    A desigualdade se reflete muito no estilo de vida goianiense de total falta de compromisso com o desenvolvimento da cidade e com seus problemas, já que é mais fácil se esconder num condomínio fechado. Saindo dele de carro (Goiânia tem a 1.3 milhões de habitantes e mais de 1 milhão de carros) e fechando a janela pra o que não se quer ver. Simples e duradouro assim.

    Curtir

Comenta aê!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.